As Doenças Renais no Brasil

  •  Estimativas de 2011 revelam que há cerca de dez milhões de brasileiros portadores de alguma disfunção renal e acredita-se que a maioria nem saiba disso.
  •  As estatísticas em crianças são inexistentes, mas estima-se que cerca de 10% sejam menores de 18 anos.
  •  Um em cada dez brasileiros adultos tem algum grau de perda das funções do rim, um índice que quintuplica na população acima dos 65 anos.
  •  Acredita-se que existem mais de 100 mil brasileiros fazendo diálise e estima-se que o gasto anual com a esse procedimento esteja em torno de R$ 2,2 bilhões.
  •  Mesmo mapeados os fatores de risco (hipertensão arterial, o diabetes mellitus, obesidade, tabagismo e presença de história familiar), a maioria das pessoas só descobrem que estão com os rins lesionados quando não há chance de cura.
  •  Há poucos nefrologistas para toda esta população e os mesmos estão concentrados nos grandes centros, fazendo com que os pacientes tenham que se deslocar e mudar toda sua vida em busca de tratamento específico.
  •  Mesmo no Estado de São Paulo há poucas vagas para diálise e poucos centros transplantadores.
  •  Para as crianças e adolescentes, a realidade é ainda mais dura. Há pouquíssimos serviços especializados.
  •  A enorme dificuldade social vivenciada pela maioria dos brasileiros impossibilita o seguimento adequado do tratamento no domicílio.
  •  Os doentes renais necessitam de muitos medicamentos, suplementos nutricionais e diversos tipos de materiais hospitalares, que nem sempre estão disponíveis na rede pública.
  •  Não há casas de apoio em São Paulo que atendam as necessidades específicas dos doentes renais. As crianças ficam hospedadas em casas de apoio para doentes oncológicos, onde não há estrutura adequada para o tratamento, inclusive em termos de colaboração com as restrições alimentares que quase todas necessitam seguir.

  • Social Slider

  • AJUDE o ICRIM